Reserve
Capoeira e sua importância para a Bahia
capoeira

Capoeira e sua importância para a Bahia

Considerada um Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade desde 2014 pela UNESCO – (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), a capoeira teve sua origem na escravidão. Para se defenderem do capitão do mato em suas perseguições, os negros usavam o ritmo das músicas para desenvolver os movimentos da luta.

Aos olhos do capitão do mato, o que parecia uma simples dança, na verdade era a forma como os escravos aprendiam e praticavam os movimentos de defesa, que consistem em chutes, rasteiras, acrobacias aéreas, joelhadas, dentre outros golpes.

Foi considerada proibida até 1930 por ser uma prática violenta, tanto é que se fossem pegos praticando capoeira eram perseguidos. O cenário mudou quando foi apresentada ao presidente Getúlio Vargas pelo mestre Bimba, Manuel dos Reis Machado. Em 1932, Bimba conseguiu abrir uma academia para ensinar a capoeira. E essa autorização somente foi permitida após a aprovação do presidente, sob algumas condições e depois de provar que era um esporte genuinamente do Brasil.

Instrumentos musicais e o ritmo

Para o conhecido mestre Pastinha, Vicente Ferreira Pastinha, a capoeira deveria ser praticada como a conhecida na Angola, com seus movimentos lentos, porém com mais gingado e ritmo, assim como nas senzalas.

Descrita como uma mistura de dança e arte marcial, e sempre acompanhada de um fundo musical ao som do berimbau, pandeiro, caxixis, atabaque e reco-reco, a capoeira tem seu ritmo ditado pelos instrumentos musicais. O mais importante, e que ainda determina a velocidade dos movimentos, se serão mais lentos ou mais rápidos, o berimbau é considerado sagrado nas rodas de capoeiras, sendo o instrumento musical que se sobrepõe aos demais.

Ao participar das rodas de capoeira, o praticante aprende tanto os movimentos essenciais para a prática esportiva, como também aprende a tocar os instrumentos que acompanham e ditam o ritmo da arte marcial.

Onde aprender sobre capoeira em Salvador?

Buscando preservá-la foi criado um espaço reservado para a prática e aprendizado da capoeira em Salvador. O Forte de Santo Antônio Além do Carmo ou Forte da Capoeira, localizado no Largo de Santo Antônio Além do Carmo, abriga imagens, objetos e vídeos contendo a história da capoeira e seus mestres, tornando-se o museu da capoeira.

As atividades que envolvem as rodas de capoeira são desenvolvidas no pátio de aproximadamente 800m², o espaço recebe várias atividades artísticas e culturais, e é mantido pela Associação Brasileira de Preservação da Capoeira.

O Forte da Capoeira ainda conta com espaço para a fabricação de instrumentos musicais, e também biblioteca e uma videoteca, contribuindo assim para a preservação e disseminação da capoeira.

Praticada em toda a Bahia, e também em outros estados, a capoeira é considerada um importante esporte e pode ser praticada por qualquer pessoa, levando ao desenvolvimento da coordenação motora por meio do equilíbrio e dos reflexos.

Curiosidades na capoeira

A prática esportiva da capoeira obedece a alguns critérios interessantes, em uma roda de capoeira quem toca o berimbau, considerado o instrumento sagrado para os capoeiristas, é o mestre, e dessa forma os demais instrumentos devem ser tocados mais baixo que o berimbau.

Ao centro da roda de capoeira, apenas dois capoeiristas lutam de cada vez, enquanto os demais aguardam agachados formando um círculo em volta. Os capoeiristas gingam de um lado para o outro buscando se defender de um possível ataque do adversário, ao mesmo tempo em que procura uma chance para golpeá-lo.

Na Bahia é possível ver em qualquer lugar a prática da capoeira, a qual estará acompanhada de no mínimo um berimbau ditando o ritmo em que os capoeiristas irão se movimentar.

 

LEIA OUTRAS DICAS DE SALVADOR